quinta-feira, 30 junho, 2022

Dona Marica

Dona Marica

Um dia fui visitá-la pelo meu trabalho no posto de saúde. A USF de Caeté-Acu, por ser Estratégia Saúde da Família (SUS), tem por norma realizar visitas domiciliares para aqueles acamados ou que por outros motivos não tem como chegar no posto. Infelizmente nem sempre é possível cumprir esta diretriz como gostaríamos, devido ao excesso de demanda – ainda mais nestes tempos pandêmicos – quando é uma das atividades mais gratas ao profissional, além de útil para a comunidade.

Por isso com alguma regularidade a visitava. Disso vai que um dia cheguei em sua casa e a filha comentou agastada que ela tinha o hábito de fumar cachimbo. E disse que D. Marica era muito teimosa, pois que não obedecia a suas admoestações para abandonar o vício.

Dona Marica, em pintura de Áureo Augusto

Olhei para aquela senhora com olhar longínquo, sorriso leve e pele repleta dos sulcos com os quais nos marca o tempo. Se bem me lembro, contava mais de 95 anos e, levando-se em conta a idade provecta, gozava de boa saúde. Havia alcançado um tempo de vida, pitando seu cachimbo, que não sei se alcançaremos.

Disse-lhe que gostaria que ela me ensinasse a preparar o pito e a fumá-lo.  A filha me olhou muito surpresa e sinalizei que depois comentaria melhor. A velhinha deu um sorriso leve, mas significativamente vitorioso e disse que ensinava com prazer. Ela sabia que eu não queria aprender, e a filha entendeu que não fazia sentido àquela altura proibir o seu prazer.

E falava dos tempos antigos, dos velhos conhecidos que sumiram após a perda das lavras e do café, dos que se foram quando seu tempo acabou… queria eu não ter mais visitas a fazer, para ali deixar-me embalar pelas histórias de D. Marica.

Aliás um dia, depois de um momento em que ficamos sentados lado a lado olhando as árvores no quintal, ela disse:

– Ah, quando o Dr. Aureo chegou aqui a luz chegou no Capão.

Nunca me explicou o porquê dessa frase lançada à socapa e sem aviso. Fiquei pensando e vi duas possibilidades. Ou ela se lembrou que desde que cheguei, toda vez que tinha que atender em casa eu insistia para que se abrissem as janelas (nem sei o porquê das janelas nas casas, porque ficavam o mais das vezes fechadas). Eu costumava dizer “onde entra o sol, não entra o médico”, frase dos antigos que escutei de familiares mais velhos. Essa é uma hipótese, e tem outra: 10 anos depois que cheguei chegou a iluminação por eletricidade. Será que ela confundiu os tempos e juntou as duas chegadas?

Ela se foi, ficou a saudade e as lembranças!

Beijos no coração, minha gente.

close

Olá! 👋
Não perca nosso conteúdo!

Inscreva-se para receber quinzenalmente notícias e artigos do Portal Vale do Capão no seu email.

Não enviamos spam! Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.

Áureo Augusto
Áureo Augusto
(Foto de Mariane Riani) AUREO AUGUSTO Caribé de Azevedo, soteropolitano, nascido em jan/1953, é médico, artista plástico e escritor. Escreve e dá cursos e palestras sobre medicina, história, filosofia, autoconhecimento, política, crônicas, contos e poemas. Reside e trabalha no Vale do Capão, Palmeiras-Ba, onde atua em clínica particular. Na Unidade de Saúde da Família local viveu a que considera sua mais bela experiência profissional, em um trabalho com atividades educativas, psicossomática, terapêuticas naturais, com foco na saúde e na felicidade. • Título de cidadão benemérito de Palmeiras concedido pela Câmara de Vereadores (Resolução n° 41 de 26/9/97). • Homenageado como Pioneiro nas Práticas Integrativas e Complementares no I Encontro Nordestino de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (UNIVASF, UFBa, UNEB, UFRN, UPE, UFPE, UFPB, UFCe, FA-SA), Juazeiro-Ba, 2 de junho de 2013. • Comendador da Ordem do Mérito Médico do Brasil, concedido pelo Ministério da Saúde (2017).
- anúncio patrocinado -

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu comentário:
Nome

- anúncio patrocinado -
- anúncio -
Bistrô na Pousada do Capão
Anuncie nas nossas redes sociais
Cozinha Criativa
Restaurante Candeia

Mais da Coluna

Veja Também

- anúncio -
- anúncio -
Morro Branco_banner
Um lugar para estar...
Morro Branco_banner
Um lugar para amar...
Morro Branco_banner
Um lugar para acreditar...

- em destaque -