quarta-feira, 10 julho, 2024

Dona Marica

Dona Marica

Um dia fui visitá-la pelo meu trabalho no posto de saúde. A USF de Caeté-Acu, por ser Estratégia Saúde da Família (SUS), tem por norma realizar visitas domiciliares para aqueles acamados ou que por outros motivos não tem como chegar no posto. Infelizmente nem sempre é possível cumprir esta diretriz como gostaríamos, devido ao excesso de demanda – ainda mais nestes tempos pandêmicos – quando é uma das atividades mais gratas ao profissional, além de útil para a comunidade.

Por isso com alguma regularidade a visitava. Disso vai que um dia cheguei em sua casa e a filha comentou agastada que ela tinha o hábito de fumar cachimbo. E disse que D. Marica era muito teimosa, pois que não obedecia a suas admoestações para abandonar o vício.

Dona Marica, em pintura de Áureo Augusto

Olhei para aquela senhora com olhar longínquo, sorriso leve e pele repleta dos sulcos com os quais nos marca o tempo. Se bem me lembro, contava mais de 95 anos e, levando-se em conta a idade provecta, gozava de boa saúde. Havia alcançado um tempo de vida, pitando seu cachimbo, que não sei se alcançaremos.

Disse-lhe que gostaria que ela me ensinasse a preparar o pito e a fumá-lo.  A filha me olhou muito surpresa e sinalizei que depois comentaria melhor. A velhinha deu um sorriso leve, mas significativamente vitorioso e disse que ensinava com prazer. Ela sabia que eu não queria aprender, e a filha entendeu que não fazia sentido àquela altura proibir o seu prazer.

E falava dos tempos antigos, dos velhos conhecidos que sumiram após a perda das lavras e do café, dos que se foram quando seu tempo acabou… queria eu não ter mais visitas a fazer, para ali deixar-me embalar pelas histórias de D. Marica.

Aliás um dia, depois de um momento em que ficamos sentados lado a lado olhando as árvores no quintal, ela disse:

– Ah, quando o Dr. Aureo chegou aqui a luz chegou no Capão.

Nunca me explicou o porquê dessa frase lançada à socapa e sem aviso. Fiquei pensando e vi duas possibilidades. Ou ela se lembrou que desde que cheguei, toda vez que tinha que atender em casa eu insistia para que se abrissem as janelas (nem sei o porquê das janelas nas casas, porque ficavam o mais das vezes fechadas). Eu costumava dizer “onde entra o sol, não entra o médico”, frase dos antigos que escutei de familiares mais velhos. Essa é uma hipótese, e tem outra: 10 anos depois que cheguei chegou a iluminação por eletricidade. Será que ela confundiu os tempos e juntou as duas chegadas?

Ela se foi, ficou a saudade e as lembranças!

Beijos no coração, minha gente.

Áureo Augusto
Áureo Augusto
(Foto de Mariane Riani) AUREO AUGUSTO Caribé de Azevedo, soteropolitano, nascido em jan/1953, é médico, artista plástico e escritor. Escreve e dá cursos e palestras sobre medicina, história, filosofia, autoconhecimento, política, crônicas, contos e poemas. Reside e trabalha no Vale do Capão, Palmeiras-Ba, onde atua em clínica particular. Na Unidade de Saúde da Família local viveu a que considera sua mais bela experiência profissional, em um trabalho com atividades educativas, psicossomática, terapêuticas naturais, com foco na saúde e na felicidade. • Título de cidadão benemérito de Palmeiras concedido pela Câmara de Vereadores (Resolução n° 41 de 26/9/97). • Homenageado como Pioneiro nas Práticas Integrativas e Complementares no I Encontro Nordestino de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (UNIVASF, UFBa, UNEB, UFRN, UPE, UFPE, UFPB, UFCe, FA-SA), Juazeiro-Ba, 2 de junho de 2013. • Comendador da Ordem do Mérito Médico do Brasil, concedido pelo Ministério da Saúde (2017).
- anúncio patrocinado -

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu comentário:
Nome

- anúncio patrocinado -
- anúncio -
Bistrô na Pousada do Capão
Anuncie nas nossas redes sociais
Cozinha Criativa
Restaurante Candeia

Mais da Coluna

Uma terrível doença

Recentemente aqui no Vale do Capão aconteceu um fato chocante: atearam fogo num ônibus escolar.  Diversos moradores me procuraram para conversar, ou, dito melhor,...

Veja Também

Feira Cultural tem 4ª edição confirmada

A Feira Cultural Vale do Capão acontecerá Dia: 1 de junho de 2024, sábado, Horário: 16:00h as 21:30h, Local: Coreto do Portal Flores da Chapada (Lot. Wilson, no fundo da Vila)

Prefeitura lança campanha de cadastramento do perfil de turistas e prestadores de serviços turísticos no município

A prefeitura Municipal de Palmeiras por meio da Secretaria de Turismo e Cultura, lança neste dia 08 de fevereiro de 2024 a Campanha de cadastramento do Perfil de Turistas e dos Prestadores de Serviços Turísticos de Palmeiras.
- anúncio -
- anúncio -
Morro Branco_banner
Um lugar para estar...
Morro Branco_banner
Um lugar para amar...
Morro Branco_banner
Um lugar para acreditar...

- em destaque -