terça-feira, 20 outubro, 2020
26.5 C
Caeté-Açu
- publicidade -

Decreto expira no domingo (05) e secretário de saúde garante que Capão continuará fechado para visitantes durante outubro

Prefeito não comparece a reunião com associações e ICMBio sobre reabertura do Vale do Capão ao turismo

Conteúdo Prefeito não comparece a reunião com associações e ICMBio sobre reabertura do...

Prefeito não comparece a reunião com associações e ICMBio sobre reabertura do Vale do Capão ao turismo

Decreto expira no domingo (05) e secretário de saúde garante que Capão continuará fechado para visitantes durante outubro

Representantes da Associação Comercial do Turismo Auto Sustentável do distrito de Caeté-Açu (ACOMTUV), do Conselho de Gestão do Capão (CGC) e do Coletivo Juventude em Ação, se organizaram para reunião agendada com o prefeito Ricardo Guimarães (PSD), na Câmara Municipal de Palmeiras, com objetivo de estabelecer diálogo sobre a reabertura do Vale ao turismo com o prefeito, porém, se depararam com ausência do gestor municipal. No entanto, no mesmo horário da reunião, ele foi visto em frente ao Legislativo Municipal e dialogando com eleitores.

A mobilização das associações ocorreu com o intuito de levar à Prefeitura de Palmeiras propostas de reabertura a visitantes de maneira gradual e de acordo com as necessidades específicas do Vale do Capão. O secretário de Saúde Walney de Paula conduziu a reunião representando o staff municipal e se comprometeu a levar as propostas ao gabinete da prefeitura. Conforme as duas sugestões de abertura do Vale do Capão apresentadas pela ACOMTUV e CGC, respectivamente, o retorno das atividades deverá ser gradual e com fiscalização.

A analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Marcela de Marins, também participou da reunião e declarou que a abertura sem diálogo com ICMBio – conforme vem ocorrendo – é incentivo ao turismo clandestino. Segundo a analista ambiental, por questões sanitárias, os parques nacionais foram fechados e aos poucos estão sendo reabertos de forma gradual e monitorada.

“Praticamente todas as trilhas do Capão estão dentro do Parque Nacional e se a Prefeitura de Palmeiras abre sem diálogo com ICMBIO está estimulando o turismo clandestino. Palmeiras fez um ótimo trabalho ao longo desses 5 meses e a gente não pode correr o risco de perder tudo isso que conseguimos até agora. Mucugê e Lençóis são municípios que estão dentro do Parque Nacional e também reabriram, mas tiveram um diálogo próximo com a gente. Mucugê está inclusive disposta a fazer uma parceria com ICMBio para contratar monitores para as trilhas”, disse Marcela.

“As pessoas estão me perguntando se o parque está aberto e eu falo que não está. Mas a prefeitura emitiu um decreto tirando a barreira restritiva, tem passagem sendo vendida a 10 reais pra Palmeiras, então, se essa situação se se consolidar vai ser muito desagradável porque o parque está fechado. Quase nada está sendo discutido sobre como vai ser o acesso as trilhas. Eu não tenho uma resposta pronta, então eu acho importante que a gente discuta e que não tenha nada apressado. Precisamos sentar e conversar com o prefeito”, reivindicou.

As propostas das associações ponderam sobre uma abertura gradual, com fiscalização e reivindicações que atendam melhorias em relação a água, lixo e protocolos. Confira as propostas apresentadas pela ACOMTUV e CGC:

PROPOSTA ACOMTUV

De acordo com o documento protocolado pela ACOMTUV, o plano de reabertura começaria a partir do dia 05/10 com abertura para população local dos comércios que já estiverem com os protocolos prontos e vistoriados, sendo eles: academias, restaurantes e lanchonetes (setor de alimentação e bebidas), lojas, comércios de produtos não alimentícios, massagens, terapias e similares, artesanatos, artistas de rua, abertura dos atrativos e trilhas para público local, barreira restritiva para turistas.

Já na segunda etapa, a partir de 01/11, a abertura seria para todos os setores de hospedagem que já estiverem com seus protocolos prontos e vistoriados com 50% de sua capacidade, abertura dos atrativos e trilhas para o público local e turistas hospedados no Vale, com capacidade limitada, barreira sanitária para controle da entrada de turistas e solicitação de voucher para qualquer estabelecimento de hospedagem, além de barreira restritiva para turista visitante. O grupo também solicita ao prefeito implantação do protocolo público para o correto funcionamento da rua no que diz respeito ao abastecimento de água da vila, finalização do banheiro, recolhimento do lixo e colocação de mais 1 pia. Confira a proposta na íntegra apresentada pela ACOMTUV clicando aqui.

PROPOSTA CGC

A proposta encaminhada pelo Conselho de Gestão do Capão estipula que na fase 1 de 05/10 a 05/11 seja feita a abertura do comércio local para a comunidade com objetivo de movimentar a economia do Vale e observar como se comporta a curva de contágio. De 06/11 a 06/12, caso todas as reivindicações sejam atendidas pela prefeitura, 30% das hospedagens abrem. (Todos os meios de hospedagem independentemente do tamanho) e visitantes só entram com voucher de pousada, reserva de site de hospedagem ou liberação do dono da casa de aluguel.

De 07/12 a 07/01 começa o funcionamentode50% das hospedagens. (Todos os meios de hospedagem independentemente do tamanho) e visitantes só entram com voucher de pousada, reserva em site de hospedagem ou liberação do dono da casa de aluguel. Conforme o documento da CGC, fica estipulado o fechamento do comércio e a circulação de visitantes caso sejam confirmados 5 casos de covid-19. Confira a íntegra do documento clicando aqui.

NOVO DECRETO

No próximo domingo (05), expira o decreto atual 114/2020, que no item 18 proíbe a entrada de turismo no Vale do Capão. O secretário de saúde garante que a próxima publicação irá assegurar a proibição do turismo e que a abertura só irá ocorrer de forma segura.

“Na semana que vem em nenhum momento foi dito que estaremos reabrindo. Estamos fazendo avaliações e isso que foi determinado. O prefeito não está aqui por motivo particular que não sei qual foi. E o que a gente está fazendo são avaliações. Na semana que vem vence o decreto e como não estamos preparados, não vamos abrir”, disse.

Além de representantes da ACOMTUV, CGC, ICMBio, Juventude em Ação e o secretário municipal de saúde, também participaram da reunião, a assistente social Scharone e o vereador Gilberto (Giba). A reunião ocorreu na Câmara Municipal na última quarta-feira (30).

- publicidade -
Slider

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu comentário:
Nome

Atenção! Comentários ofensivos, palavras de baixo calão ou que ofendam a conduta, moral e ética profissional serão excluídos. Agradecemos a compreensão.
Slider

Veja Também

Flores Comestíveis – parte 2

Aprenda a utilizar flores da culinária com Sabina Galletto do restaurante Natrual Bistrô

A luz da Lua reflete nosso Karma

Todos nós temos a Lua em um dos 12 signos do zodíaco. E ao olharmos para ela podemos compreender os nossos resquícios kármicos. O lugar onde estivemos em inúmeras encarnações.

Flores Comestíveis

Neste vídeo vamos passear no mundo das flores, vou apresentando para vocês 4 flores comestíveis, que além de ser muito gostosas são também medicinais.

No Vale do Capão

Florestal Ecoturismo

Ambiente aconchegante e arborizado

EcoClean

Higienização e Sanitização de estofados

PanECOs de Cera

Embalagem Ecológica

- em destaque -

Florestal Ecoturismo

Ambiente aconchegante e arborizado

EcoClean

Higienização e Sanitização de estofados