sábado, 21 maio, 2022
Mais

    Reflexões sobre a Júpiter e a obra de Castanheda

    InícioVozes do ValeReflexões sobre a Júpiter e a obra de Castanheda

    Reflexões sobre a Júpiter e a obra de Castanheda

    Até o dia 21 de dezembro o Sol estará transitando pelo signo de Sagitário, o nono signo do zodíaco. Considerado um signo livre e independente tem como símbolo o arqueiro que simboliza o voar livre, a busca sem limites e rumo ao desconhecido.  O signo do arqueiro tem como regente o planeta Júpiter, o maior dos planetas benéficos, que representa o impulso à expansão e ao sucesso no mundo exterior.

    Quando o poder deste planeta é usado com sabedoria, são boas as chances de prosperidade e realizações. Quando não é usado com sabedoria, Júpiter leva aos extremos, aos excessos e aos abusos.

    Júpiter também é associado as viagens e os novos horizontes. Esta também ligado ao campo da fé, da religiosidade e da expansão do conhecimento. As características de um bom posicionamento de Júpiter no mapa natal indica uma personalidade jovial, animada e otimista. Aqui estará alguém que quer sempre ir adiante, que luta e combate para conseguir conquistas e conhecimentos.

    Pode indicar a sabedoria, ordem divina e o conhecimento. Com pouca sabedoria poderá tornar-se intolerante, enganador e levar a envolvimento com vícios e ilusões. Exagerado são os Jupterianos, tanto pro bem quanto pro mal.

    Na obra de Carlos Castañeda, Júpiter poderá representar a personificação do Guerreiro, um caçador imaculado que caça o poder. O Poder Pessoal. Se o planeta Júpiter estiver conectado com a baixo conhecimento pode protagonizar o bêbado, um doido, um enganador, nunca um homem de conhecimento.

    Um homem sobre a boa influência de Júpiter, também recebe tudo que está destinado ao homem comum-  alegria, dor, tristeza, luta e suas conquistas. Se por consequência de seu carma ancestral, vem com espirito distorcidas, tem agora a chance na encarnação e o dever de endireitar-se, purificar-se e se tornar um homem de conhecimento. Não existe nenhum outro trabalho em toda sua vida que valha a pena, que não seja o de reconciliar com o infinito, com o conhecimento.

    Ou seja, buscar a perfeição do espirito do guerreiro, é a única tarefa digna e necessária de seu tempo limitado de encarnação. É a sua meta e seu Dharma.

    A influência de Júpiter para o homem que busca o conhecimento, é ao mesmo tempo sua realização ou seu engodo. Atingir a impecabilidade a todo custo é a sua realização. Do lado contrário o uso do conhecimento envolvido com o engano, com os vicio e serviço do ego é o engodo.

    A coisa mais desafiadora deste mundo é adquirir essa disposição para tornar-se um homem de conhecimento, tornar-se o Guerreiro, porque o guerreiro é apenas um homem, um ser humilde diante do Universo e da morte. Ele não pode mudar os desígnios de sua morte. Mas ele tem através das energias Jupterianas, o aliado indispensável que favorece a expansão do seu espirito nesta encarnação.

    close

    Olá! 👋
    Não perca nosso conteúdo!

    Inscreva-se para receber quinzenalmente notícias e artigos do Portal Vale do Capão no seu email.

    Não enviamos spam! Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.

    Jorge Seixas
    Jorge Seixas
    Jorge seixas pratica e vive a Astrologia Esotérica a mais de 25 anos, oriundo dos movimentos sociais e políticos. Vivencia a espiritualidade na linha de Mestre Irineu e Babaji. Morador do Vale do Capão há mais de 15 anos.
    - anúncio patrocinado -

    DEIXE SEU COMENTÁRIO

    Seu comentário:
    Nome

    - anúncio patrocinado -
    - anúncio -
    Bistrô na Pousada do Capão
    Anuncie nas nossas redes sociais
    Cozinha Criativa
    Restaurante Candeia

    Mais da Coluna

    Os Nós da Lua e a alma da humanidade

    Em um mapa astrológico existem dois pontos que trazem informações sobre nosso destino. São dois lugares do céu, mais exatamente os pontos a onde a órbita da Lua em torno da terra cruza o trajeto aparente do Sol, chamado de eclíptica.

    Astrologia e a comunidade do Vale do Capão

    Lendo a bonita matéria do irmão Flavio Fucs no Portal do Vale, sobre o encontro no Rufino da escola e a comunidade, tive a ideia de fazer a minha matéria na sequência da dele, na continuidade.

    Veja Também

    Lançamento de novo álbum “The Sun is Rising” da artista francesa residente na Chapada Diamantina

    Djeliah é uma cantora e compositora cosmopolita inspirada pela música de raiz africana: soul, jazz, reggae, que ela combina com sutis batidas e efeitos eletrônicos. Seu primeiro álbum chamado Beauty, conta a jornada de despertar espiritual dela.

    Conversa com Cau Rios

    - A fonte presente …que fonte tão estranhaque desce pela montanhaAinda que seja noite..? - Que fonte é essaque aos poucos despertaa consciência..? - Tão bela...

    Lançamento do novo álbum do artista catalão Izqui “Caminar y Silbar” 

    “Caminar y Silbar”, é o primeiro projeto musical e teatral de Izqui, onde expressa temas vitais e filosóficos de profunda atualidade. 9 músicas com diferentes géneros populares ‘’ samba, bolero, reggae, seguidilletes, rock’n’roll, bossa’’, cantadas em quatro línguas , português, catalão, espanhol e inglês para contar uma história divertida e leve sobre os novos tempos que estamos vivendo, e como encarar eles.
    - anúncio -
    - anúncio -
    Morro Branco_banner
    Um lugar para estar...
    Morro Branco_banner
    Um lugar para amar...
    Morro Branco_banner
    Um lugar para acreditar...

    - em destaque -