domingo, 29 novembro, 2020
15.7 C
Caeté-Açu
- publicidade -
Início Comunidade Brilho do Cristal

Brilho do Cristal

Escola Comunitária

Slider

História do Brilho

Até os finais dos anos de 1980 a educação do Vale do Capão era degradante em todos os seus aspectos. O prédio com paredes rachadas e o telhado quebrado com madeiras apodrecendo estava condenado a cair, havia duas salas de aula, uma varanda e nenhum banheiro. Foi justamente nesse “prédio velho” da Escola Municipal Rufino Rocha que, nos meados da década de 1980, começou o movimento de se fazer uma escola diferente, quando um grupo de pais e mães se juntou e pediu autorização à prefeitura para usar o prédio no turno da tarde com a intenção de oferecer as crianças uma escola diferente da que eles estavam frequentando.

A escola à tarde era chamada de “Escola Integrada”, o que era apenas um nome fantasia, pois oficialmente todas as crianças eram alunas da Escola Municipal Rufino Rocha que funcionava pela manhã nas condições descritas anteriormente. A condição de dependência da prefeitura trouxe várias situações desagradáveis e de desrespeito. Esta realidade obrigou ao grupo de pais, mães e educadores a se mobilizarem no sentido de construir a própria escola. A falta de recursos financeiros e de apoio dos órgãos públicos não impediu a concretização da construção da Escola, pois tivemos ao nosso favor a força do coletivo. Um grupo de pais fez a doação do terreno e em mutirão iniciou-se a construção da Escola.

Em março de 1992 iniciava-se o ano letivo no “prédio” novo, o grupo se constituía de cinco educadores, mais ou menos vinte crianças e uns vinte sócios: pais mães e colaboradores. Entramos e percebemos que construir uma escola não se limitava a levantar as paredes. Numa nova realidade, novas necessidades se apresentavam, entre tantas, a mais urgente era registrar a Escola. Para isto, a escola precisava ter nome e uma instituição mantenedora. Qual será o nome da escola? Muitas conversas entre as crianças e em assembleia elas elegeram o nome: “Brilho do Cristal” – a criança que sugeriu o nome da Escola, hoje, é educadora da Escola na turma de educação infantil – prof. Regina Neves.

Com a Escola “batizada” partiu-se para a fundação da Associação de Pais Mestres e Amigos da Escola Comunitária Brilho do Cristal: convocar reuniões, construir pauta, conduzir assembleia, fazer o estatuto, constituir a diretoria e o quadro de sócios. É interessante registrar que naquele momento estávamos aprendendo a nos organizarmos politicamente, juridicamente, e, mais uma vez, a prática da Brilho nos possibilitava uma formação a partir da auto-organização, autonomia e coletividade. Concluída a tarefa de organizara a associação partimos para seu registro.

Nossa associação não tem fins lucrativos, sua diretoria é composta por voluntários e seu objetivo é criar estratégias para manutenção da escola. Nesse processo, o grupo deu saltos qualitativos, a necessidade foi nosso mestre e assim o grupo começava aprender a organizar-se coletivamente, afinal, era preciso sustentar economicamente a Escola e somente a força coletiva poderia enfrentara tal desafio.

A escola não pertence a nenhuma instituição pública governamental, sua instituição mantenedora é a Associação de Pais, Professores e Amigos da Escola Comunitária Brilho do Cristal, uma Associação sem fins lucrativos tendo como objetivo manter a escola e buscar parcerias com o mesmo intuito. Atualmente contamos com a parceria com o projeto italiano “Conexão Vida”.

A participação coletiva é incentivada através de mutirões, forrós, pedágios, passeios, almoços festivos, assembleias, reuniões pedagógicas bimestrais, administração coletiva, prestação de conta mensal, formação continuada, planejamento coletivo, diárias para manutenção, merenda coletiva e ações pedagógicas participativas, contextualizadas e criativas.

Nossa realidade financeira ainda é muito precária, porém acreditamos que “trabalhando juntos” podemos vencer o desafio.

Estruturalmente possui sete salas de aulas, um refeitório, uma secretaria, uma cozinha, cinco banheiros, um campinho de futebol, uma horta, uma roça de banana, um pomar, um herbário e muitos canteiros de flores. O espaço é acolhedor, cada canto tem a marca do coletivo que faz a Escola, marcas de lutas e conquistas.

A Escola está fundamentada pedagogicamente nos identificamos com a Pedagogia histórico-crítica e filosoficamente com o sociointeracionismo de Vigotski por afirmar que o desenvolvimento humano deve acontecer de maneira integral, tendo como base as relações e interações humanas, de acordo com o contexto histórico, cultural e social do grupo. Também nos referenciamos em Paulo Freire também por defender a contextualização, a problematização e o diálogo como fundamentais numa pedagogia libertadora. A coordenação pedagógica da Escola é coletiva, se efetiva através do planejamento coletivo, das avaliações semestrais, da formação continuada e das semanas pedagógicas semestrais.

A proposta pedagógica da Escola

Trabalhamos com base na Pedagogia de Projetos, que possibilita desenvolver experiências pedagógicas transdisciplinares, minimiza a fragmentação do conhecimento, além de tornar fluentes as interações. O objetivo de trabalhar com projetos é de possibilitar a construção de conhecimento a partir da pesquisa, o que torna o conhecimento significativo, especialmente quando o objeto de estudo é fruto da experiência, curiosidade e desejo do grupo.

Para alcançar o objetivo proposto o “Brilho do Cristal” busca: desenvolver as ações pedagógicas de maneira transdisciplinar; trabalhar os conteúdos das áreas de estudos, português matemática, ciências, história, geografia, artes, educação física e educação ambiental a partir de execução do projeto de pesquisa; incentivar a leitura e a escrita respeitando a linguagem local, incentivando o registro gráfico e estético das histórias contadas pelos avós, criação de poesias, elaboração de relatórios das atividades cotidianas da escola; construção de textos teatrais e composições musicais; complementar nas ações pedagógicas, o diálogo entre o Brilho do Cristal e a comunidade; executar ações externas que beneficie a comunidade do vale, com todos os que fazem a escola.

A Brilho do Cristal é uma escola experimental, que propõe uma construção curricular, não autoritária mediatizada pela realidade do sujeito como forma de possibilitar a transformação da sociedade a partir da conscientização do povo, do seu valor e do seu papel na sociedade. Para tanto defende o diálogo amoroso e a arte como fundamental no processo de construção do conhecimento.

Nosso objetivo é pensar a construção da autonomia da escola, para que no futuro próximo possamos melhorar e ampliar cada vez mais nossas ações pedagógicas no âmbito da escola e da comunidade. A motivação da escola é formar o sujeito para a vida, numa perspectiva de leitura de mundo, que interferem, agem, participam e contribuem efetivamente com a construção de conhecimento do coletivo e do indivíduo. Venha conhecer o Brilho, faça-nos uma visita!

Acompanhe-nos nas redes sociais:

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu comentário:
Nome

Coletivo Capão

em Ação pela Comunidade

Horto Comunitário Vale Flora

Comissão de Meio Ambiente do Vale do Capão

Associação Sociocultural e Ambiental Colmeia

Associação sem fins lucrativos criada com o objetivo de realizar ações e projetos nas áreas de Cultura, Educação, Meio Ambiente e Cidadania

APEA-CA – Associação de Pais, Educadores e Agricultores de Caeté-Açú

A Associação de Pais, Educadores e Agricultores de Caeté-Açú (APEA-CA) foi criada em junho do ano de 1996 com o objetivo de unir os pais dos estudantes para melhorar o ensino na comunidade.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Reflexão: vivemos a era da “pós-verdade”?

Às vezes, por formações superficiais, ou no ritmo ditado e estabelecido nas redes sociais pelos seus algoritmos, ao apreciarmos uma situação astrológica, um fato sugerido pelos astros, corremos o risco de nos enquadrarmos numa visão fechada e estreita.

Receita Tabule Libanês

Aprenda a fazer duas versões diferentes do Tabule Libanês

Você sabe o que é Empreendedorismo Feminino?

Bel Caldeira explica o que é e qual a importância do empreendedorismo feminino.

Nós mudaremos o mundo!

Quando passamos a separar os resíduos que geramos, podemos perceber com maior clareza o que estamos consumindo e então buscar maneiras simples e diárias de suavizar nosso impacto na realidade local e global.

O que seria do Vale do Capão sem os movimentos coletivos?

O que seria daqui sem as atividades artísticas? Onde você levaria seu filho(a) se não tivesse o Circo, as escolas infantis? O que os hóspedes da sua pousada fariam no sábado à noite na vila se não tivessem os artistas de rua e músicos?

Outubro Rosa

Nesse vídeo, Bel alerta para a importância do autoexame das mulheres (tocarem a própria mama) e o paralelo do autocuidado diário da pele do rosto (que também é um toque).

Faça parte do Portal

Dê mais visibilidade à sua iniciativa, seu projeto ou coletivo publicando no Portal. É grátis! E será uma honra tê-los conosco 🙂