terça-feira, 27 fevereiro, 2024

Liberdade

Liberdade

Desde há muito que o nosso povo humano tem se interessado por “liberdade”. O primeiro registro vem de um documento anônimo em escrita cuneiforme que foi elaborado na cidade de Lagash, há 4.500 anos.

Ali o autor conta sobre um momento difícil pelos quais passaram os cidadãos quando políticos e coletores de impostos corruptos exploraram o povo (não sei se você concorda, mas isso me parece tão atual!). E em dado momento aparece esta palavra que se refere a algo tão especial.

Quando era adolescente, a liberdade, o ser livre, era um sonho, uma luta, um propósito. Foi muito depois que aprendi que não é possível ser livre aquele que é dependente de um pai, mãe ou outro parente. Para ser livre há que sustentar-se.

Nem me ocorre que a autonomia total seja algo possível. Como seres relacionais que somos, dependemos em alguma medida dos demais e não apenas dependemos de outros seres humanos como também de todos os outros seres existenciais. No entanto, há que dispor de algum grau de autonomia, cuidar de si, propiciar a si mesmo comida, abrigo, condições para ir e vir… Ou seja, devo responsabilizar-me por mim mesmo.

Com alguma frequência sou procurado por adolescentes ou adultos jovens que se queixam da ingerência de seus pais em suas vidas.

Depois de reconhecer que realmente é bem chato que não disponhamos do nosso querer, que tenhamos que pedir permissão para fazer certas coisas e por aí vai, dizia, tenho o hábito de perguntar como ele ou ela faz para sobreviver. E até mais que isso, como faz para viver, o que implica em subsistência, e algo mais, como fazer ou apreciar coisas que não tem papel imediato na resolução de necessidades básicas impostas pela fisiologia.

Pois, como muito bem nos ensinou Victor Frankl, Liberdade exige Responsabilidade.

Não sendo responsáveis por nós mesmos, não somos, não podemos (e será que queremos?) ser livres. Esse grande psicólogo nos diz em seu belo livro “Em Busca de Sentido” que, como nos EUA há a Estátua da Liberdade na costa leste, deveria construir uma estátua da responsabilidade na costa oeste.

Recebam o meu carinho.

Áureo Augusto
Áureo Augusto
(Foto de Mariane Riani) AUREO AUGUSTO Caribé de Azevedo, soteropolitano, nascido em jan/1953, é médico, artista plástico e escritor. Escreve e dá cursos e palestras sobre medicina, história, filosofia, autoconhecimento, política, crônicas, contos e poemas. Reside e trabalha no Vale do Capão, Palmeiras-Ba, onde atua em clínica particular. Na Unidade de Saúde da Família local viveu a que considera sua mais bela experiência profissional, em um trabalho com atividades educativas, psicossomática, terapêuticas naturais, com foco na saúde e na felicidade. • Título de cidadão benemérito de Palmeiras concedido pela Câmara de Vereadores (Resolução n° 41 de 26/9/97). • Homenageado como Pioneiro nas Práticas Integrativas e Complementares no I Encontro Nordestino de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (UNIVASF, UFBa, UNEB, UFRN, UPE, UFPE, UFPB, UFCe, FA-SA), Juazeiro-Ba, 2 de junho de 2013. • Comendador da Ordem do Mérito Médico do Brasil, concedido pelo Ministério da Saúde (2017).
- anúncio patrocinado -

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu comentário:
Nome

- anúncio patrocinado -
- anúncio -
Bistrô na Pousada do Capão
Anuncie nas nossas redes sociais
Cozinha Criativa
Restaurante Candeia

Mais da Coluna

Uma terrível doença

Recentemente aqui no Vale do Capão aconteceu um fato chocante: atearam fogo num ônibus escolar.  Diversos moradores me procuraram para conversar, ou, dito melhor,...

Veja Também

Reunião – Festival CAPÃO IN BLUES

A produção do Festival "CAPÃO IN BLUES" convoca a comunidade para apresentar o projeto que terá sua primeira edição este ano. Vai acontecer o Festival CAPÃO IN BLUES! No dia 05/02, próxima segunda-feira às 19h no salão do Posto de saúde, apareça.
- anúncio -
- anúncio -
Morro Branco_banner
Um lugar para estar...
Morro Branco_banner
Um lugar para amar...
Morro Branco_banner
Um lugar para acreditar...

- em destaque -