domingo, 18 abril, 2021
22 C
Caeté-Açu
- publicidade - spot_img

Lixo tóxico. Ele está em muitos lugares que nem imaginamos!

InícioVozes do ValeLixo tóxico. Ele está em muitos lugares que nem imaginamos!

Lixo tóxico. Ele está em muitos lugares que nem imaginamos!

Você sabe que tipo de resíduo é chamado de “lixo tóxico”? 

Escutando estas palavras muitas vezes pensamos em resíduos das grandes empresas ou indústrias, porém em nossas residências também produzimos este tipo de resíduo.  

Os resíduos tóxicos são aqueles que apresentam algum grau de toxicidade e oferecem riscos ao meio ambiente e à saúde. Então, muitos resíduos descartáveis que contêm compostos químicos são resíduos tóxicos, eles podem contaminar o solo, a água e o ar, podendo entrar em nossos organismos de forma direta ou indireta. São exemplos o óleo de cozinha, as baterias de carro, pilhas, remédios, lâmpadas e equipamentos eletrônicos. É muito importante que seja feito o descarte adequado desses materiais, evitando comprometer a qualidade de vida do ser humano e também do meio ambiente.

As lâmpadas fluorescentes, por exemplo, liberam mercúrio quando quebradas, queimadas ou enterradas em aterros sanitários, o que as transforma em resíduos perigosos Classe 1, uma vez que o mercúrio é altamente tóxico para a natureza e os animais. 

Na Constituição Federal de 1988, o Artigo 225 do Meio Ambiente aponta que a empresa que comercializa produtos classificados como tóxicos deve recolher e destinar os mesmos quando estes não estão em uso, demonstrando uma preocupação com o meio ambiente e os seres vivos. As empresas têm diferentes meios de recolher esse material, como contratar pessoas responsáveis pela retirada, ou até oferecer desconto em novos produtos em troca do velho, como é o caso de aparelhos celulares. Além disso, nas grandes cidades alguns estabelecimentos possuem balcões de atendimento onde o cliente pode descartar material tóxico como pilhas e baterias. Leia aqui um pouco mais sobre a logística reversa.

Mas em nosso município, nós temos esta alternativa?  

Se não temos essa opção, o que você faz com as pilhas, lâmpadas e baterias que utiliza em sua casa?  

O Coletivo ainda não tem um plano de ação para esta questão, por isso pedimos a sua ajuda. Que informação você tem sobre este assunto? E como nossa comunidade pode agir para proteger o Vale? Deixe aqui seu comentário e vamos juntos iniciar uma Campanha para o lixo tóxico! 

Seria possível seguirmos o exemplo de algumas localidades onde a prefeitura estabelece um calendário específico para a coleta de lixo tóxico avisando a população com antecedência e ajudando cada um a fazer a sua parte?  

Escrito por Clarissa Caballero participante do Coletivo Capão

Coletivo Capão
Coletivo Capão
O Coletivo Capão, é um grupo voluntário atento com as questões ambientais e, particularmente, com a crescente produção de lixo: resíduos sólidos, recicláveis e orgânicos. O principal foco do Coletivo é ajudar a despertar uma maior consciência do consumo, e responsabilidade em relação aos cuidados e descarte de resíduos sólidos, para isto busca promover ações criativas e adequadas à realidade local.
- anúncio -

2 COMENTÁRIOS

  1. Costumo juntar as pilhas e baterias e entregar a Willian de Palmeiras
    Elias, aqui no vale recolheu alguns eletrônicos pois ele fax garimpagem
    Acho otima a ideia do calendário de coleta

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu comentário:
Nome

Mais da Coluna

- anúncio -

Veja Também

Habitar a palavra

Oficina para treinar a palavra falada e seu potencial para o desenvolvimento cotidiano e artístico (palhaços, declamadores, cantores, etc.) no Vale do Capão

#LeiAldirBlanc – Projeto valoriza tradições e promove inclusão digital de comunidade quilombola em Palmeiras

A preservação da memória e das tradições culturais, geração de renda, requalificação da produção culinária, fortalecimento do artesanato e a promoção da inclusão digital estão entre os benefícios alcançados pelo projeto de Desenvolvimento Territorial do Quilombo de Corcovado

Mais do Vale

- em destaque -