quinta-feira, 30 junho, 2022

Seu Joãozinho

InícioVozes do ValeSeu Joãozinho

Seu Joãozinho

Foi-se há pouco do nosso vale abençoado esta pessoa como poucas. Seu Joãozinho era um arquivo, uma biblioteca de histórias de vida, com seus ensinamentos preciosos.

Homem muito trabalhador, enquanto teve condições soube o caminho do garimpo, pegava o saco* com o sócio, rumava para as lavras e lá ficava entre as brumas, a chuva, o sol, a bateia, peneira, picaretas, pás, marrão… Riscos enormes e não foram poucos aqueles que esqueceram a vida lá na serra e por lá ficaram escondidos nas frestas, nos túneis desabados, muitos!

Mas S. Joãozinho seguiu e ficou entre nós para nos ensinar. Era uma delícia sentar em sua porta, no passeio, escutando dele em todos os detalhes, como e quando aqui chegou, como aprendeu a cata do diamante, e as coisas que se faziam antes, as dificuldades e como supera-las. Construiu-se de lendas.

Explicava demoradamente da chuva d’outros tempos ou da seca de 30, contou da mulher, fugida do sertão crestado pelo sol, que pediu farinha lá no Pati pra algo fazer por suas crias e o homem ao qual ela implorava deu-lhe um saco cheio… de areia! Queria se divertir da desgraça de outrem. Mas qual não foi o seu pasmo, quando viu sua própria farinha tornar-se areia, enquanto a mulher feliz, algo deu pra encher a barriga dos pequenos. Repito: Seu Joãozinho era feito de lendas.

Lendas não são criações fantasiosas, lendas são descrições da realidade, descrições estas embebidas do mito, da lição moral a ser dada, da mensagem que educa. Aquele homem de princípios tinha claridade quanto ao que deveria ser ensinado àqueles que não tiveram a sorte e a dor de experimentar o que ele passara.

É maravilhoso ver uma pessoa chegar a provecta idade, como foi o caso dele, com a dignidade de quem conseguiu!

Recebam todos o meu carinho!

* O garimpeiro não tinha recursos, carecia de um sócio que investia, mas não “pegava no pesado”. Uma das coisas que o sócio providenciava era um saco com rapadura, feijão, farinha etc. para que se mantivesse pelos próximos dias na serra em sua busca.

close

Olá! 👋
Não perca nosso conteúdo!

Inscreva-se para receber quinzenalmente notícias e artigos do Portal Vale do Capão no seu email.

Não enviamos spam! Leia nossa política de privacidade para mais detalhes.

Áureo Augusto
Áureo Augusto
(Foto de Mariane Riani) AUREO AUGUSTO Caribé de Azevedo, soteropolitano, nascido em jan/1953, é médico, artista plástico e escritor. Escreve e dá cursos e palestras sobre medicina, história, filosofia, autoconhecimento, política, crônicas, contos e poemas. Reside e trabalha no Vale do Capão, Palmeiras-Ba, onde atua em clínica particular. Na Unidade de Saúde da Família local viveu a que considera sua mais bela experiência profissional, em um trabalho com atividades educativas, psicossomática, terapêuticas naturais, com foco na saúde e na felicidade. • Título de cidadão benemérito de Palmeiras concedido pela Câmara de Vereadores (Resolução n° 41 de 26/9/97). • Homenageado como Pioneiro nas Práticas Integrativas e Complementares no I Encontro Nordestino de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (UNIVASF, UFBa, UNEB, UFRN, UPE, UFPE, UFPB, UFCe, FA-SA), Juazeiro-Ba, 2 de junho de 2013. • Comendador da Ordem do Mérito Médico do Brasil, concedido pelo Ministério da Saúde (2017).
- anúncio patrocinado -

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Seu comentário:
Nome

- anúncio patrocinado -
- anúncio -
Bistrô na Pousada do Capão
Anuncie nas nossas redes sociais
Cozinha Criativa
Restaurante Candeia

Mais da Coluna

Veja Também

- anúncio -
- anúncio -
Morro Branco_banner
Um lugar para estar...
Morro Branco_banner
Um lugar para amar...
Morro Branco_banner
Um lugar para acreditar...

- em destaque -